segunda-feira, 3 de junho de 2024

Embu das Artes - SP

Embu das Artes é um lugar que sempre quisemos conhecer e voltando da praia, surgiu a oportunidade de parar.


Conhecida pela famosa feira de arte e artesanato, realizada desde os anos 60, a cidade recebe milhares de visitantes todos os fins de semana em busca de arte, cultura, lazer e boa gastronomia.

A cidade estava bem movimentada e nos dirigimos para a Praça das Artes, situada no Centro Histórico, local onde se concentram todas as lojas de artesanato e os mais variados restaurantes.

Demos sorte, pois o centro estava tranquilo, afinal era sexta-feira e o movimento mais intenso é aos sábados e domingos.

Praça das Artes

Paramos a moto em um estacionamento e fomos desbravar o Centro Histórico.

Ruas enfeitadas

No Centro Histórico

O local é uma belezinha, todo colorido e com muita coisa interessante para ser visitada, principalmente os lindos casarões coloniais, que hoje abrigam restaurantes, pousadas, residências e lojas de artesanatos.

Filtro dos sonhos

Posto policial

Arte

Colecionando letreiros

Banco do Amor para Sempre

Fachadas coloridas

O local tem uma infinidade de lojas, uma mais bonita que a outra. As fachadas são lindas e o conteúdo comercializado também.

Encantos

Linda fachada

Pé de Cana

Vai um gole?

O principal ponto turístico do Centro Histórico é a Igreja de Nossa Senhora do Rosário que tem como anexo a sede do Museu de Arte Sacra, ambos em estilo barroco paulista, que abriga um belíssimo acervo produzido entre os séculos XVII e XIX, com imagens de santos, anjos e personagens bíblicos entalhados a mão em madeira ou modelados em terracoto e armações de roca.

Tudo junto e misturado

Igreja de Nossa Senhora do Rosário

Bares e restaurantes ao fundo

Igreja de Nossa Senhora do Rosário

Artesanatos

De tudo um pouco

Esculturas

Para almoçar, foi bem difícil escolher, pois eram muitas as opções e um lugar mais atraente que o outro.
Escolhemos o restaurante O Legado do Samba.

Olha o tamanho do pratinho

Matando a fome

O Legado do Samba

Após o almoço e as comprinhas, tomamos um cafezinho e pegamos estrada de volta para casa.

Cafezinho esperto

Estivemos em Embu das Artes, em 5 de janeiro de 2024


Curiosidades sobre Embu das Artes - SP

  • Distância de Campinas: 103 km
  • Distância de São Paulo: 45 km
  • Sua história curiosa lhe trouxe uma especialização contemporânea imprevista: ser uma cidade especialmente vocacionada para acolher artistas. Isto aporta dividendos turísticos à cidade. Por causa disso, em 2011, a denominação oficial da cidade foi alterada de Embu para Embu das Artes
  • É um dos 29 municípios paulistas considerados estâncias turísticas pelo Estado de São Paulo
  • O Centro Histórico encanta por suas ruas de paralelepípedos e construções arquitetônicas típicas dos tempos do Brasil Colônia, em meio a ateliês e tantas lojas
  • A igreja Nossa Senhora do Rosário, tombada pelo patrimônio histórico, foi construída em taipa de pilão por volta de 1.700 e é uma das mais importantes e preservadas construções jesuítas no estado de São Paulo
  • O complexo é formado ainda pelo Museu de Arte Sacra, com acervo que reúne imagens de anjos, santos e personagens bíblicos, todos produzidos entre os séculos 17 e 19
  • Outro espaço é a Casa do Artesão, que reúne milhares de trabalhos produzidos pelos profissionais da região. Chegando ao local, o visitante fica encantando com a variedade de opções para todos os gostos e bolsos
  • Já no memorial e acervo do artista Tadakiyo Sakai, a atração conta com diversas peças produzidas por ele. O espaço inclui também a Capela de Santa Cruz, o Cruzeiro da Paz e um pátio que sedia variada programação de eventos
  • Aniversário da cidade: 18 de fevereiro


quinta-feira, 9 de maio de 2024

Curitiba PR

 ...continuação



25 de Dezembro - Segunda-feira

Segunda foi dia de nos despedir de Garopaba. Arrumamos tudo e pegamos estrada para nosso último destino, Curitiba.

Foi uma viagem de aproximadamente 355 km, mas puxada por causa do calor.

Chegando em Curitiba

Chegamos em Curitiba por volta das 15h50 e nos hospedamos no Hotel Moov

Nosso quarto geladinho

Após um breve descanso, saímos a pé por Batel, que é um bairro que amamos e sempre procuramos nos hospedar.

Clima de Natal

Por ser Natal, as ruas estavam desertas e o comércio, praticamente, todo fechado.

Tudo deserto

Entramos no Shopping Pátio Batel, que estava aberto ao público, porém suas lojas estavam fechadas, principalmente a praça de alimentação, que era o que nos interessava.

Shopping Pátio Batel

Andando mais um pouco pelo bairro, paramos em uma bela padaria, a Saint Germain Batel, que estava aberta e mortos de fome, almoçamos por lá, por volta das 16h40.

Almoço na Saint Germain Batel

Após matar a fome, fomos passear pelo bairro. Entramos na linda igreja de Santa Terezinha, para agradecer o momento.

Igreja de Santa Teresinha do Menino Jesus

Interior da igreja

Depois paramos na Praça do Japão, muito linda e organizada, onde fizemos várias fotos.

Escultura de Buda Sobre Flor de Lótus

Memorial da Imigração Japonesa

Que a paz prevaleça no mundo

Lanterna esculpida em pedra num dos lagos ornamentais

Homenagem aos filhos do sol nascente

Portal japonês

Só nós pelas ruas



26 de Dezembro - Terça-feira


Descansamos muito bem e o dia era de comemorações, pois era meu aniversário.
Para começar, tomamos um belíssimo café da manhã.

Bom dia!

Aquele café da manhã de hotel que gostamos

Após o café, fomos passear no Centro Histórico e nunca tínhamos visto ele tão tranquilo. Estava uma beleza.

Palácio Giuseppe Garibaldi

Largo da Ordem

Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos de São Benedito

Largo da Ordem

Igreja da Ordem Terceira de São Francisco das Chagas

Turistar nesta época do ano é complicado pela dificuldade de encontrar comércios e restaurantes abertos, mas por outro lado, encontramos sempre o sossego e a tranquilidade em locais que geralmente são muito movimentados.
Paramos na Catedral Basílica de Nossa Senhora da Luz dos Pinhais, para agradecer pelo momento. Linda demais por dentro e por fora.

Basílica de Nossa Senhora da Luz dos Pinhais

Interior da Basílica

Seguimos o passeio e passamos pelo Portal Polonês, região que já ficamos hospedados em outra ocasião.

Portal Polonês

Partimos então para conhecer o Parque Tanguá, que ainda não tínhamos visitado.

Entrada do Parque Tanguá

O parque é enorme, com muitos jardim floridos, pista de caminhada, área de lazer, lanchonete, mirante, cascata, lago e muito mais.

Lago e cascata ao fundo

Inacreditável que o parque já foi um lixão

Uma das grandes atrações, é a cascata com 65 metros de altura, que jorra da parte superior do lindo paredão de rocha.

Belíssima cascata

O parque é um encanto. Em sua entrada principal, podemos admirar Jardim Poty Lazzarotto, em estilo francês. Uma homenagem ao artista plástico curitibano, com canteiros de flores, espelhos d’água e chafarizes. 

Espelhos d'água

Espelhos d'água

Lindos jardins

Outra atração é o belvedere, em semicírculo, com três pisos, onde encontram-se distribuídos decks metálicos, bistrô, loja e um mirante, em duas torres de observação, a 65 m de altura. 
Deste ponto é possível ter uma ampla e bonita visão da capital.

Mirante ao fundo

Subimos o mirante, para apreciar a vista de um ângulo mais privilegiado. Simplesmente de tirar o fôlego.

Vista do mirante

No topo do mirante

Piso intermediário do mirante

Parque Tanguá

Adoramos ter conhecido o Parque Tanguá, com sua história e belezas.
De lá, fomos almoçar e como eu escolheria o cardápio, escolhi um restaurante árabe, o Yalla Comer.

Um brinde a vida

Dava vontade de pedir o cardápio todo e pedimos itens variados. Tudo bem servido e maravilhoso. A turquinha aqui se esbaldou.

Kibe, esfiha e coalhada

Após o maravilhoso almoço, continuamos o tour e fomos passear no Mercado Municipal, que passou por reforma depois da última vez que estivemos por lá.

Queijos

Adoramos um Mercado Municipal

Mercado Municipal de Curitiba, desde 1958

Fachada do MM

Ficou muito bonito o MM

Retornamos para o hotel, descansamos e saímos novamente para conhecer o Bar Casa Velha, que sempre quisemos conhecer. Do nosso hotel, levava meia hora.
Infelizmente, estava fechado e perdemos a viagem.

Bar fechado

De lá, saímos sem destino a procura de algum lugar para jantar.
Retornamos para Batel, que tem muitas opções e paramos no Bar Tabefe, muito bonito e de esquina.
Pedimos uma caipirinha de maracujá e uma porção.

Caipirinha

Porção (minúscula)

Nós no Tabefe

Não achamos muita graça no cardápio e achamos as porções muito pequenas. Decidimos ir para outro lugar.
Por fim, comemoramos meu niver comendo hot-dog na dogueria mais tradicional de Curitiba, a Au-Au. Aberta desde 1974 e seguindo com sucesso, acabou sendo um programa diferente, pois aqui pela nossas bandas, não conhecemos nada semelhante.

Hot dog do Au-Au

Muito bacana

Um sucesso


27 de Dezembro - Quarta-feira

Chegou o dia de voltar para casa.
Tomamos aquele belo café da manhã no Moov e pegamos estrada.

Aquele café que tanto amamos

Para sair de Curitiba, pegamos muito trânsito. Seguimos viagem sentido o Rastro da Serpente, e pegamos muita chuva, por isso não fizemos registros no trecho.
Fizemos uma primeira parada no Serpenteando Café, que ainda não conhecíamos. Como era meio de semana, não havia ninguém e pudemos fazer várias fotos tranquilamente.


Meu piloto na rampa

Monumento Rota Biker

Nós

A lanchonete

O Serpenteando Café é um paradouro de estrada dedicado ao mototurismo. Está localizado na lendária estrada Rastro da Serpente, no km 71, cidade de Bocaiúva do Sul. Inaugurado em 17/2/2023, o local funciona como lanchonete e está aberto desde o café da manhã. 
No local, aproveitamos para tirar várias fotos na Rampa da Serpente e no 1º Monumento da Rota Biker.

1° monumento da Rota Biker

Nós, os aventureiros

Seguimos viagem, já sem chuva e com temperaturas baixas.

Curvas

Já em SP, chegamos em Apiaí.

Moringa gigante em Apiaí

Como sempre, a cidade de Apiaí estava repleta de motociclistas.

Apiaí

Paramos no Centro de Informações Turística de Apiaí, que em 2021, ganhou mais uma atração. Uma homenagem aos diversos grupos de motociclistas que visitam a região percorrendo o trajeto do Rastro da Serpente. A estátua em homenagem aos motociclistas se encontra na Praça do Rastro da Serpente, que se tornou ponto de parada para visitação dos turistas.

Homenagem aos motociclistas

Turistando

Aproveitamos a parada para fazer um lanchinho rápido e depois seguimos viagem.

Reprodução da obra

Por volta das 12h30, paramos para almoçar em Guapiara, no Restaurante Café & Cia. Para nossa alegria, o prato do dia era Virado à Paulista, que tanto amamos.

Um senhor almoço

Hora boa

Seguimos viagem, passamos por Porthal Rastro da Serpente em Capão Bonito, abastecemos a moto e continuamos a viagem.

Porthal Rastro da Serpente

Por volta das 15h, fizemos uma parada em Sorocaba, no Castelinho Express, para tomar um café e dar uma esticada, pois a próxima parada já seria em casa.

Uma pausa para o café

Muito bom avistar as placas com a localização de nossa casa.
Chegamos em casa às 16h30 e apesar de cansados, estávamos muito felizes por mais uma linda viagem.

Chegando em casa


Estivemos em Curitiba, de 25 a 27 de dezembro de 2023




Curiosidades sobre Curitiba - PR
  • Distância de Campinas: 547 km
  • Distância de São Paulo: 500,7 km
  • É conhecida como Cidade Modelo, Cidade Sorriso, Cidade Ecológica do Brasil e Capital das Araucárias
    é considerada a capital mais desenvolvida do Brasil
  • Anualmente realiza o Festival de Teatro de Curitiba, com produções nacionais e internacionais
  • Possui três pratos tradicionais: o barreado, o pinhão e a carne de onça
  • A Rua das Flores é considerada o primeiro calçadão público do Brasil
  • A Praça do Japão foi construída em homenagem aos imigrantes japoneses, já que a capital paranaense possui a segunda maior comunidade japonesa do Brasil, atrás de São Paulo. Em uma área arborizada de 14 mil metros quadrados, existem espalhadas pela praça 30 cerejeiras, enviadas pelo império nipônico, e seis lagos artificiais nos moldes japoneses. Uma escultura de Buda no centro de um dos lagos, tem como simbologia a irmandade entre Curitiba e Himeji, além de transmitir a paciência e arte dos japoneses. Há também uma lanterna esculpida em pedra, um símbolo tradicional nos jardins do Japão, que foi doada pela assembleia legislativa de Hyogo, região co-irmã do Paraná, em 1979. A praça conta ainda com o Portal Japonês e o Memorial da Imigração Japonesa. Em julho de 2018, foi aberto o Espaço Tomie Ohtake, em homenagem à artista plástica, falecida em 2015. Uma obra de sua autoria, composta por uma escultura vermelha de sete metros de altura e estruturada em aço, foi instalada no local
  • Um dos principais atrativos da cidade, o Parque Tanguá tem um mirante em semi-círculo, que proporciona uma linda vista da cidade. Esse mirante fica em cima de um paredão de pedra de uma antiga pedreira. O parque conta ainda com pista de caminhada, ciclovia, lanchonete e o Jardim Poty Lazzarotto
  • O Largo da Ordem é o ponto onde teria começado a cidade de Curitiba. Foi ali, naquelas ruas de pedra, que nasceu a Vila de Nossa Senhora da Luz dos Pinhais, no final do século XVII. No século seguinte, a vila ganharia destaque e também o nome de Curitiba. Ao caminhar pelo Centro Histórico, será possível visitar vários prédios que marcam os séculos passados. Um dos mais importante é a Igreja da Ordem Terceira de São Francisco de Chagas ou, como chamam os moradores, Igreja da Ordem. Fundada em 1737 como Igreja de Nossa Senhora do Terço, ela é o templo religioso mais antigo da cidade e abriga também o Museu de Arte Sacra. Outra construção na região, esta destinada ao culto dos escravos e localizada na Praça Garibaldi, é a Igreja de Nossa Senhora do Rosário de São Benedito. O prédio atual foi inaugurado em 1946 no lugar da igreja original, demolida em 1931. No Largo da Ordem, é possível apreciar prédios que datam dos séculos XVIII e XIX, como a Casa Romário Martins, hoje um pequeno centro cultural; a Casa Vermelha, que abriga atualmente o restaurante Bar do Alemão; e um pouco mais acima, o Palácio Giuseppe Garibaldi, casa de eventos que serviu originalmente ao encontro de imigrantes italianos e onde está localizado o relógio de flores. Quem segue em direção à Praça Tiradentes verá ainda os painéis de Poty Lazzarotto, que marcam a passagem para o Centro de Curitiba e a Praça Tiradentes. Todos os domingos, acontece no Largo da Ordem uma disputada feira especializada em gastronomia e antiguidades
  • Aniversário da cidade: 29 de março