sexta-feira, 15 de maio de 2015

Iguape, Ilha Comprida e Cananéia - SP

Há três meses, o maridão teve uma brilhante ideia e assim foi planejada com nossos amigos, uma viagem para Ilha Comprida e Cananéia, no período de 08 a 10 de maio, a qual batizamos de Expedição Cananéia.
Com a proximidade da data, notamos que a viagem cairia justamente no final de semana do Dia das Mães, o que começou a gerar certas complicações.

Preparados para pegar estrada

Marcamos a saída para o dia 08 de maio e assim fizemos logo de manhã. Por motivos de trabalho, os casais Alexandre e Marise, Eduardo e Ana Maura, saíram no período da tarde.
Fizemos uma primeira parada rápida em Sorocaba, apenas para usar o banheiro e fazer umas ligações.

Parada em Sorocaba

De lá seguimos por Votorantim, Piedade e a próxima parada seria em Tapiraí. Durante o trajeto a temperatura foi caindo cada vez mais, chegando a 14 graus.

Altos da Serra

Mais estrada


A fome estava apertando e decidimos parar na Pastelaria Guaxupé, apenas para forrar o estômago. Pedimos dois pastéis de carne e para nossa surpresa, o pastel era gigante e super recheado. Bem temperadinho e sequinho, acabou virando almoço.

Deliciosos pastéis

Pastelzinho que virou almoço


Pastelaria Guaxupé, valeu a parada


A simpatia de todos no local era notória e após alguns papos, partimos para descer a serra Tapiraí-Juquiá.

Início da Serra Tapiraí-Juquiá

Tá nervoso? Vai pescar (ou andar de moto)

Vida boa

Linda natureza

A serra estava tranquila, praticamente só nossa e assim foi possível apreciar a natureza e registrar alguns momentos.
Paramos em Juquiá para abastecer e de lá seguimos pela Rodovia Régis Bitencourt e na sequência pela Rodovia Prefeito Casemiro Teixeira. Em certo ponto, entramos em uma estrada de terra com destino a Juréia.


Vamos conhecer a Juréia?

Rio Ribeira de Iguape


Ilha Comprida ao fundo


Juréia pela terra

Fizemos uma parada para olhar a paisagem e contemplar a extensão da Ilha Comprida e seguimos para a Praia da Juréia/Barra do Ribeira, mais precisamente na Barraca do Ceará da Praia, onde tomamos umas cervejas geladas e comemos uma porção de salteira, que estava muito boa.

São Pedro Apóstolo

Chegando na Juréia
A Brahma nos persegue

A gente merece descansar um pouco

Pé na areia

Porção de salteira (em Santos é Guaivira)

De lá, seguimos para Iguape via balsa e chegando na cidade, fizemos uma parada na praça, com direito a visitação à maravilhosa Basílica do Senhor Bom Jesus de Iguape. Saindo de lá, meu faro avisava que na praça haveria churros, e como sempre, ele não falhou. Comemos um churros bem caprichado, de um carrinho com mais de 10 anos de tradição. De-li-ci-o-so, pena que não dá pra levar na mala.

Travessia de balsa para Iguape

Praça de Iguape

Basílica ao fundo


Churros é a cara da felicidade

Maravilhosa Basílica

Em Iguape também estava rolando o 3° FLI - Festival Literário de Iguape, com o tema “Escritores Regionais, Literatura Universal”, inspirado em frases de Machado de Assis. A programação estava bem bacana, com shows, exposições e palestras.

Ponte para Ilha Comprida, construída nos anos 2.000


E chegamos na Ilha

Partimos finalmente para Ilha Comprida, onde ficamos hospedados no Toya Hotel.  http://www.toyahotel.com.br/

Toya Hotel

Área de lazer

Enquanto os amigos não chegavam, nos enfiamos debaixo das cobertas para descansar um pouco.
Uma batedeira na porta, anunciava "a galera chegou" e após darmos as boas-vindas, resolvemos sair.
O destino eram os bares de Iguape e logo na saída da cidade fomos abordados por uma blitz policial. Documentos conferidos, partimos para finalmente curtir a noite.

As belas na praça

Nossa primeira escolha foi O Beco, onde tomamos um maravilhoso caldo verde e matamos a sede com umas Originais. Detalhes em breve, no Blog Dicas da Mi.

O Beco, ótima escolha

Olha o Jonatan atendendo a gente

De lá fomos conhecer outro bar, Esquina do Chopp, no qual apesar de muitos contratempos, ficamos até quase 3 horas da manhã.

Os motociclistas

Nós na Esquina do Chopp
Excelente repertório musical

Acordamos, arrumamos as coisas e descemos para o café, que estava bem gostoso e bem servido.

Café da manhã bacana


Prontos para a travessia

Bora?

Do asfalto para a areia

De lá, partimos para a melhor parte da viagem, a travessia Ilha Comprida - Cananéia, via areia da praia. A primeira travessia dos vários braços de rios que desaguam no mar, foi uma verdadeira aventura, mas tudo correu bem, afinal o maridão é um ótimo motociclista. A partir daí, cada travessia era uma farra.

E começa nossa aventura

Várias dessas pelo trajeto

Liberdade
Farra


Só alegria

Lindo visual

Sensação maravilhosa nossos maridos sentiram e nós, as garupas, fomos registrando os lindos momentos.
Fizemos uma parada num bar prá lá de especial, o Quiosque Ubatuba, onde estava sendo preparado um churrasquinho e uma cheirosa feijoada. Acabamos provando o churrasquinho, que para nossa surpresa, era de língua, rs.

As donas da praia


O inusitado Quiosque Ubatuba

Um brinde à amizade

Churrasquinho de língua

Feijoada saindo

Os Samambaias Selvagens e o dono do quiosque

Bora para o próximo destino

O lugar era tão cativante que quase perdemos a noção do tempo e depois de muito papo, fotos e risadas, sentimos que era hora de ir embora.



Informações, passamos 18 km

Seguimos sentido Pedrinhas, mas com a distração da maravilhosa paisagem, acabamos passando somente 18 km da entrada de Pedrinhas. Por unanimidade, resolvemos voltar para conhecer, afinal, estávamos passeando e sabe-se lá quando voltaríamos àquela região.


Finalmente, entrada para Pedrinhas

4 km até Pedrinhas

Chegando em Pedrinhas, resolvemos almoçar o tradicional  PF no Bar do Nezinho, e claro, uma porção deliciosa de camarão.


Almoço no Bar do Nezinho

Camarãozinho esperto

Papo sem fim

Comidos e bebidos, nos agasalhamos um pouco e partimos para Cananéia, via balsa.
A cidade estava no horizonte e já nos encantou, com os casarios coloridos na avenida Beira Mar.

Travessia de balsa para Cananéia

Felizes demais

Charmosa Cananéia

Portal

Ficamos hospedados nos Chalés Mandira, mais precisamente na Casa Fragata e fomos muito bem recepcionados por um dos proprietários, o Marcelo.
Super aconchegante, confortável e com decoração impecável, a casa é totalmente mobiliada e tivemos a certeza de que fizemos uma ótima escolha: http://www.mandira.com.br/


Fragata, amor à primeira vista

Descanso para as meninas

Descanso para nós também

Esse trio é infinito

Nos acomodamos, tomamos aquele banho caprichado e partimos para desbravar a noite de Cananéia.
Paramos inicialmente no Pont's Café, um lindo restaurante de cozinha internacional. O ambiente interno é maravilhoso, repleto de objetos antigos, quadros, pratos comemorativos, bonecos e bebidas. Realmente muito charmoso. Tomamos umas Quilmes por lá e partimos para o próximo bar.


Pont's Café

Viva la Vida


Dedo de Prosa, localizado algumas casas para frente, na mesma avenida Beira Mar. Bar simples e com um cardápio bem interessante, com mais detalhes no Blog Dicas da Mi.

Dedo de Prosa


Casquinha de caranguejo


Deck a beira mar

Por ali comemos umas porções, tomamos várias cervejas e decidimos seguir a pé para conhecer o centrinho. Todos os bares e restaurantes estavam lotados e a noite, apesar de gelada , estava muito animada.
Ir para Cananéia e não comer ostras não vale (isso para quem gosta, o que não é meu caso), e assim seguimos para o Ponto das Ostras, um restaurante super tradicional da cidade.


Ponto das Ostras

Rodadas de ostras e na sequência um Bobó de Camarão delicioso, porque aqui ninguém brinca em serviço. Mais detalhes sobre o restaurante, confira no Blog Dicas da Mi,

Uma aula sobre ostras

Depois de tanta comilança, voltamos para casa e berço, pois a estrada nos aguardava pela manhã.
No meio da madrugada acordei com o barulho forte da chuva e logo imaginei como seria nosso retorno.
Ao acordar, nossos amigos já haviam ido embora, pois tinham compromissos familiares.

Manhã chuvosa

Pegamos estrada logo em seguida, debaixo de muita chuva, a qual nos acompanhou a maior parte do caminho.

Serra Tapiraí-Juquiá



Parada na Cabeça da Anta

Fizemos apenas uma parada na serra, na Cabeça da Anta, quase chegando em Tapiraí.
O tempo foi melhorar e esquentar um pouquinho somente em Votorantim. Devido a chuva, não foi possível registrar momentos da volta.
Após 5 horas de viagem, chegamos em casa ensopados, pois não houve roupa e acessórios impermeáveis que aguentassem tamanha chuva.

Em casa!!!!!!


Confiram o vídeo com os melhores momentos da viagem, feito pelo nosso amigo motociclista e participante da Expedição, Alexandre Toloto.







Estivemos em Iguape, em 08 de maio de 2015


Estivemos em Ilha Comprida, em 08 de maio de 2015

Estivemos em Cananéia, em 09 de maio de 2015


Curiosidades sobre Iguape - SP

  • Distância de Campinas: 279 km
  • Distância de São Paulo: 204 km
  • Seu centro histórico é tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional como patrimônio nacional desde 2009. 
  • É um dos 15 municípios paulistas considerado Estância Balneária
  • A Basílica do Senhor Bom Jesus de Iguape foi construída em pedra portuguesa e óleo de baleia, entre os séculos XVIII e XIX.
  • Aniversário da cidade: 03 de dezembro


    Curiosidades sobre Ilha Comprida - SP

    • Distância de Campinas: 296 km
    • Distância de São Paulo: 212 km
    • Possui 74 quilômetros de praias
    • É um dos 15 municípios paulistas considerado Estância Balneária
    • A cidade possui 100% de seu território incluído em Área de Proteção Ambiental
    • Aniversário da cidade: 05 de março


    Curiosidades sobre Cananéia - SP

    • Distância de Campinas: 335 km
    • Distância de São Paulo: 261 km
    • Considerada a cidade mais antiga do Brasil
    • É conhecida como "A Cidade Ilustre do Brasil"
    • Realiza tradicional festa de Nossa Senhora dos Navegantes, em 15 de agosto 
    • É um dos 15 municípios paulistas considerado Estância Balneária
    • Seu centro histórico é tombado por resolução desde 1969
    • Aniversário da cidade: 12 de agosto

    8 comentários:

    1. Ficou muito bacana Mi, parabéns!!!

      ResponderExcluir
    2. Excelentes relatos, parabéns menina.
      Viajar de moto é a coisa mais deliciosa e desestressante que existe. Quando a esposa é garupa companheira, então fica perfeito.
      Costumo fazer viagens com minha esposa, pela região ou para o exterior.
      Seus relatos além de muito bem escritos e fundamentados, servem para mostrar para as mulheres que ainda relutam em passear de moto ou ainda, não permitem a compra de uma, que esses momentos são únicos.
      Que seu blog seja enriquecido a cada semana e que seus passeios com seu marido e seus amigos sejam sempre inesquecíveis e seguros. Urbano - SC

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Olá Urbano
        Fico muito feliz que tenha gostado do meu blog.
        Desejo a você e sua esposa, lindas estradas pela frente.
        Abraços

        Excluir
    3. Oi querida, eu sou garupa e sempre que podemos, aproveitamos para viajar de moto.
      Moramos em catanduva e nosso ultimo passeio foi para Poços de Caldas, em 4 casais.
      Parabéns pelo blog, com fotos lindas e textos deliciosos.
      Beijinhos

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Olá Glória
        Não tem coisa melhor do que passear de moto com os amigos né?
        Obrigada pelo carinho.
        Bjs

        Excluir
    4. Oi, Mi, lindo registro, tenho casa na Ilha Comprida e muitas vezes fazemos o percurso de moto, mas nunca por Tapiraí. Gostei muito da ideia de mudar o roteiro, parabéns e obrigada.

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Olá Marisa
        Que delícia ter uma casa em um lugar tão bonito.
        Faça esse trajeto por Tapiraí, é muito bonito.
        Obrigada pelo contato
        Bj
        Mi

        Excluir